17/08/2018

ÁLCOOL E CIGARRO SÃO AS MAIORES AMEAÇAS AO BEM-ESTAR

Estudo que reúne informações sobre drogas que viciam alerta para perigos.

Segundo pesquisa sobre drogas que viciam, divulgada pela “Addiction”, uma publicação da Society for the Study of Addiction, o álcool e o tabaco estão entre as maiores ameaças à saúde e ao bem-estar das pessoas. Segundo o estudo, em 2015 um em cada sete adultos fumava diariamente (15,2%) e o uso abusivo do álcool alcançava 18.3% dos adultos (pelo menos uma ocasião de uso pesado de bebida alcoólica nos últimos 30 dias). Para as demais drogas, os percentuais eram bem mais baixos: 3.8% para maconha; 0.77% para anfetaminas; 0.37% para opioides; 0.35% para cocaína.

Comparado com o resto do mundo, a Europa Central, Oriental e Ocidental registrou consistentemente maior consumo de álcool per capita (11,61, 11,98 e 11,09 litros, respectivamente) e um maior percentual de consumo pesado entre os bebedores (50,5%, 48,2% e 40,2 %, respectivamente). As mesmas regiões europeias também registraram as maiores prevalências de tabagismo (Europa Oriental 24,2%, Europa Central 23,7% e Europa Ocidental 20,9%).

Os pesquisadores compilaram informações disponíveis nas melhores e mais atualizadas fontes globais sobre o uso de álcool, tabaco e drogas ilícitas e sua associação a mortes e doenças, como Organização Mundial da Saúde, do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime e do Instituto de Medições e Avaliação da Saúde. Os autores do relatório "Estatísticas Globais sobre Álcool, Tabaco e Uso de Drogas Ilícitas: Relatório de 2017" acreditam que colocar todas essas informações em um só lugar facilitará aos governos e agências internacionais o desenvolvimento de políticas para combater o uso de substâncias.

Já na métrica Disability-adjusted Life Year (Daly), utilizada pela OMS para medir os anos de vida saudável que foram perdidos, álcool e fumo custaram à humanidade mais de 250 milhões de anos perdidos, enquanto as drogas ilícitas responderam por algumas dezenas de milhões.

Datas buscam conscientização
O consumo de álcool e tabaco, há séculos, acompanha a humanidade como um hábito lícito e socialmente aceitável. No entanto, estudos demonstram a íntima relação entre o consumo destas drogas e o risco de doenças, acidentes de trânsito, absenteísmo e acidentes de trabalho, envolvimento em brigas, violência intrafamiliar, violência sexual, criminalidade, dentre outros.

Segundo a Associação Brasileira de Estudos do Álcool e Outras Drogas (ABEAD), cerca de 200 mil brasileiros morrem, por ano, devido a doenças relacionadas ao cigarro. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabagismo é a principal causa de morte evitável no planeta. E, conforme dados do Ministério da Saúde e da OMS, o Brasil é o 5º no mundo com maior número de óbitos ligados ao consumo de bebidas alcoólicas.

Para chamar atenção sobre estas questões, nos dias 28 e 29 de agosto são celebrados, respectivamente, o Dia Nacional do Controle do Alcoolismo (28/08) e o Dia Nacional de Combate ao Fumo (29/08). O objetivo é conscientizar a população sobre os riscos relacionados ao consumo destas drogas e trabalhar questões relacionadas à prevenção.
  

Notícias Relacionadas