18/05/2018

31 de MAIO: DIA MUNDIAL SEM TABACO

Conheça os malefícios do tabaco e saiba quais são os benefícios de parar de fumar.

Que fumar faz mal todo mundo já sabe, mas seus perigos costumam ser ignorados por muita gente. É para chamar atenção para os malefícios do tabaco e para as mortes que causa, bem como para os benefícios de parar de fumar, que foi instituído pela Organização Mundial da Saúde (OMS) o Dia Mundial sem Tabaco. A campanha também visa informar as pessoas sobre o que podem fazer para ter uma vida saudável e proteger crianças, adolescentes e jovens do tabagismo.

O tabagismo é uma doença, classificada no grupo dos transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de substância psicoativa. A doença é causada pela dependência à nicotina, presente em produtos derivados de tabaco e que é a maior causa isolada evitável de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo.

Segundo uma recente pesquisa sobre drogas que viciam, divulgada pela “Addiction”, uma publicação da Society for the Study of Addiction, o tabaco está entre as maiores ameaças à saúde e ao bem-estar das pessoas. Segundo o estudo, em 2015 um em cada sete adultos fumava diariamente. Já na métrica Disability-adjusted Life Year (Daly), utilizada pela OMS para medir os anos de vida saudável que foram perdidos, álcool e fumo custaram à humanidade mais de 250 milhões de anos perdidos, enquanto as drogas ilícitas responderam por algumas dezenas de milhões.

O Brasil tem prejuízo anual de R$ 56,9 bilhões com o tabagismo. Desse total, R$ 39,4 bi são gastos com despesas médicas e R$ 17,5 bi com custos indiretos ligados à perda de produtividade, causada por incapacitação de trabalhadores ou morte prematura. Em 2015, morreram no país 256.216 pessoas por causas relacionadas ao tabaco, 12,6% dos óbitos acima dos 35 anos.

Cigarro e Coração
A campanha da OMS para celebrar o Dia Mundial sem Tabaco em 2018, em 31 de maio, alerta para a ligação entre tabaco e doenças cardiovasculares (DCV), incluindo acidentes vasculares cerebrais, que, combinados, são as principais causas de morte do mundo (17,7 milhões de pessoas por ano). De acordo com a OMS, a epidemia de tabagismo continua sendo a maior ameaça à saúde pública que o mundo já enfrentou, sendo responsável pela morte de 7 milhões de pessoas morrem anualmente; destas, 900 mil são vítimas de fumo passivo.

Com o slogan “Com o coração não se brinca. Faça a melhor escolha para a sua vida: não fume!", a campanha tem o objetivo de alertar a população brasileira quanto aos danos sociais, políticos, econômicos e ambientais causados pelo tabaco, visto que o uso do tabaco é uma das principais causas de infarto, angina (dificuldade de engolir e respirar) e acidente vascular cerebral (AVC).

Segundo pesquisa publicada na revista médica BMJ, fumar apenas um cigarro por dia já faz mal ao coração. A projeção é pior para as mulheres, visto que o tabagismo eleva em 57% o risco de desenvolver uma doença cardiovascular para aquelas que fumam um cigarro por dia, enquanto para os homens o risco sobe 48%.

Modismos também fazem mal
Diante de todos os riscos e com os esforços de conscientização, o número de fumantes tem diminuído no Brasil nos últimos 25 anos. Segundo dados do Relatório Vigitel 2016, o percentual total de fumantes com 18 anos ou mais no Brasil é de 10,2%, sendo 12,7 % entre homens e 8% entre mulheres.

Os jovens são uma grande preocupação da área médica, pois a curiosidade inicial na experimentação de cigarros pode levar à dependência à nicotina. Segundo especialistas, dos tabagistas que começam a fumar na adolescência, 50% morrem prematuramente na meia-idade, perdendo cerca de 20 a 25 anos de expectativa de vida em comparação aos não fumantes.

Além disso, eles são mais suscetíveis a modismos, como o narguilé e o cigarro eletrônico, que escondem riscos extras e ainda são porta de entrada para o vício em cigarro comum. Por utilizar mecanismos de filtragem, o consumo de narguilé é visto como menos nocivo à saúde. Mas, na verdade, seu uso é mais prejudicial do que o de cigarros. Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma sessão dura, em média de 20 a 80 minutos, o que corresponde à exposição a todos os componentes tóxicos presentes na fumaça de 100 cigarros. Já o cigarro eletrônico, um dispositivo que vaporiza nicotina líquida sob a forma de vapor, além de possuir substâncias nocivas à saúde, apresenta risco de explosão e vazamento dos cartuchos.

Deixar de fumar melhora qualidade e expectativa de vida
Deixar de fumar causa efeitos benéficos evidentes em todas as faixas etárias, mesmo nos idosos, principalmente na qualidade e na expectativa de vida. Isto porque o uso do tabaco está relacionado com o agravamento de várias doenças que podem surgir com o avanço da idade, como as doenças cardiovasculares. Entre outros danos, o cigarro torna o idoso tabagista mais sujeito a ter irritação das vias aéreas, podendo desenvolver enfisema pulmonar, bronquite e gripes que podem levar à pneumonia.

São inúmeros os benefícios de se parar de fumar, entre elas podemos citar: normalização da pressão arterial após 20 minutos; queda de 50% dos níveis de nicotina e monóxido de carbono no sangue, com normalização da oxigenação do sangue após 8 horas; melhora do olfato e paladar após 48 horas; melhora da capacidade de andar e correr após 2 a 12 semanas; e redução do risco de derrame e de infarto semelhante a quem nunca fumou após 5 a 15 anos.

Praticar atividades físicas e ter uma alimentação saudável são essenciais para quem quer parar de fumar, pois essas práticas ajudam a minimizar os efeitos comuns da Síndrome da Abstinência, que inclui dor de cabeça, tremor, sensação de formigamento nas extremidades, aumento de ansiedade, aumento de apetite, irritabilidade, sensação de tristeza e perda, sensação de estar mais lento e menos concentrado. Veja algumas dicas do que fazer em cada situação:

- Vontade de fumar: Distraia-se, respire fundo e lembre que a vontade passa em 5 minutos.
- Irritabilidade: Faça exercício de respiração e relaxamento, imagine uma paisagem agradável e viaje. Tome um banho quente.
- Insônia: Relaxe lendo um livro, tome um banho morno, beba um copo de leite morno. Evite bebidas com cafeína após meio-dia. Caminhe um pouco antes de se deitar. Use roupas confortáveis para dormir. Escureça o ambiente e mantenha-o ventilado. Não faça atividades estimulantes antes de dormir.
- Aumento de apetite: Prepare um kit de sobrevivência com vegetais picados, frutas e chicletes sem açúcar. Beba água e líquidos (de baixa caloria). Inicie ou intensifique a atividade física.
- Dificuldade para se concentrar: Simplifique sua agenda por alguns dias. Dê uma caminhada curta, saia um pouco. Beba água e líquidos. Descanse.
- Fadiga: Procure ter uma boa noite de sono, dormindo o suficiente a cada noite. Tire um cochilo ao longo do dia. Não exija muito de você por duas ou quatro semanas.
- Constipação, gases, dor de barriga: Beba muito líquido, acrescente fibras a sua dieta como: frutas, vegetais crus, cereais integrais e mude sua dieta aos poucos. Consulte seu médico ou nutricionista. 

Fontes: Portal Brasil Saúde, INCA e SES/MG.
  

Notícias Relacionadas