20/09/2017

GOVERNO AMERICANO INVESTE EM PROMOÇÂO DA SAÚDE NAS ESCOLAS

Iniciativa busca melhorar o bem-estar de jovens através de alimentação saudável, educação física e atividade física.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (Center of Disease Control and Prevention - CDC), do governo dos Estados Unidos, apoia programas dos Estados americanos que buscam melhorar o bem-estar de jovens através de alimentação saudável, educação física e atividade física. O objetivo é reduzir os fatores de risco associados à obesidade infantil e gerenciar condições de saúde crônicas nas escolas, como asma e diabetes.

Para apoiar as escolas dos EUA na melhoria da saúde de seus alunos, o CDC fornece dados, conhecimentos e recursos que podem ser úteis no desenvolvimento e execução de programas eficazes. O CDC Healthy Schools, que iniciou em 2014, também financia departamentos estaduais de saúde, fornecendo-lhes assistência técnica e desenvolvendo ferramentas e recursos especializados para ajudar no trabalho que fazem com as agências de educação. Estes investimentos já ajudaram aproximadamente 23 milhões de estudantes americanos a evitar comportamentos perigosos para a saúde.

O acordo de cooperação estadual financia dois componentes: o componente básico, que fornece financiamento de base para todos os 50 estados e a capital federal; e o componente aprimorado, que fornece recursos adicionais para 32 estados para mais intervenções intensivas baseadas na escola. As organizações não governamentais (ONGs) complementam e fortalecem o trabalho dos beneficiários estaduais em quatro áreas prioritárias de saúde escolar.

Saúde e desempenho acadêmico
Para o CDC, as escolas devem olhar para seus alunos de forma sistêmica, considerando não só o desenvolvimento cognitivo, mais também físico, social e emocional das crianças e jovens. No começo de setembro, o Centro divulgou um estudo que aponta a estreita conexão entre saúde do aluno e desempenho acadêmico. O The Morbidity and Mortality Weekly Report (Relatório Semanal de Morbidade e Mortalidade) sugere que, independentemente do sexo, raça, etnia ou nível de ensino, os alunos do ensino médio com menores notas acadêmicas também são os que possuem mais comportamentos de risco para a saúde. Entre estes comportamentos estão o uso de drogas, má nutrição, falta de atividade física e sexo não seguro, bem como vivenciar situações de violência ou insegurança. Eles também relataram menos comportamentos saudáveis do que os alunos que alcançam melhores notas. "Escolas, pais e comunidades podem trabalhar juntos para garantir um futuro saudável e bem-sucedido para nossos filhos", disse a diretora do CDC, Brenda Fitzgerald.

Informações sobre o Projeto, bem como dados, cases, estudos e padrões estão disponíveis no site https://www.cdc.gov/healthyschools/. Acesse!

Com informações do CDC News

Notícias Relacionadas